Biometria

Acesso por biometria: tudo o que você precisa saber

A segurança em condomínios é um assunto importante e que deve ser sempre visto com o máximo de atenção, afinal, quando se trata de manter funcionários e moradores seguros, todo cuidado é pouco.

E para driblar tentativas de assalto e aumentar a segurança, tecnologias antes direcionadas a empreendimentos comerciais começam a se popularizar em condomínios residenciais, principalmente o controle de acesso por biometria.

Mas antes de investir nesse tipo de tecnologia, o condomínio precisa entender e analisar alguns pontos importantes.

O que é a biometria

A biometria é um método de “medição biológica” que utiliza características físicas de cada pessoa em equipamentos de identificação. O tipo de biometria mais acessível atualmente, e o mais utilizado nos controles de acesso, é o de impressões digitais, porém, existem outros, como o reconhecimento facial, identificação de íris, retina, voz e até veias.

O que é preciso

Para Gilberto Monteiro, da Troad Tecnologia, o controle de acesso biométrico geralmente demanda um estudo prévio para definir quantos equipamentos serão necessários para dar suporte a todos os locais.

“Após a definição de quantos equipamentos serão necessários, o próximo passo é encontrar uma empresa que forneça os equipamentos e que dê o devido treinamento de uso e a garantia daquilo que foi acordado.”

Quanto vai custar

O custo para instalação depende da quantidade de equipamentos que serão utilizados. Monteiro estima que, ao optar por apenas um equipamento, por exemplo, o custo fique entre R$ 3 mil e R$ 5 mil.

Esse valor, é claro, poderá variar de acordo com o modelo do equipamento e da empresa fornecedora.

Onde pode ser usado

O acesso por biometria pode ser implantado em praticamente qualquer área do condomínio em que se queria fazer controle ou restrição de acesso, portarias e garagens, áreas de lazer, como academias, saunas, piscinas cobertas, salão de festas e jogos, saunas, academia, etc.

Um ponto de atenção

De acordo com Monteiro, a biometria digital pode apresentar falhas quando o uso for feito por crianças ou idosos, já que pode não estar totalmente formada, no caso de crianças abaixo dos 12 anos, ou, em idosos, a pele pode ser muito lisa. “Nos casos de funcionários das unidades ou do condomínio que utilizem materiais de limpeza corrosivos, o uso também é desaconselhado.”

Investir ou não

Cada empreendimento tem necessidades específicas de acordo com o seu perfil, por isso, não existe uma regra para chegar a uma decisão. Mas, para ajudar, leve em consideração alguns pontos:

1. Verifique quantas pessoas farão uso da tecnologia, incluindo funcionários, prestadores de serviço e moradores, para ter certeza de que o investimento nesse tipo de controle é o ideal;

2. Cada aparelho tem uma capacidade máxima de registro de digitais. Logo, o número de usuários influenciará na quantidade de equipamentos e, automaticamente, no custo da implantação;

3 .Pesquise, faça orçamentos com, pelo menos, três fornecedores diferentes e compare as vantagens e desvantagens de cada um. Pesquisar sobre a reputação da empresa e qualidade dos equipamentos também é fundamental para que o barato não saia caro.

4 .Havendo problemas, o ideal é que o condomínio disponha de outra forma de identificação para oferecer acesso ou, ainda, que o recadastro da digital possa ser feito no prédio mesmo.

Você acha que a biometria é uma boa opção? Conhece outra tecnologia para controle de acesso? Deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>